Remando com pinguins na orla do Rio

Uma dupla de remadores de Canoa Havaiana do Carioca Va’a Clube treinava hoje cedo, fazendo o trajeto da Praia Vermelha até o Arpoador, quando teve o privilégio de encontrar pinguins no mar de Copacabana, na altura do posto 5. Com o mar flat, água clara e tempo bom, aproveitaram a companhia dessas graciosas criaturas que nadavam no mesmo sentido das canoas, seguindo a corrente.

Durante esta época do ano, é muito comum o aparecimento de pinguins no litoral do Rio de Janeiro. Segundo biólogos marinhos e o Grupamento Marítima (GMAR), a espécie mais comum é o pinguim de Magalhães, que migra da Patagônia seguindo correntes marítimas frias.

Em nossas remadas de canoa polinésia ao longo do ano é comum encontrar tartarugas, golfinhos (toninhas), arraias e outros seres marítimos encantadores. Avistar pinguins, entretanto, não costuma ser tão frequente. A sensação de estar em contato com a vida marinha em suas mais belas formas é sempre recompensadora, e nos faz lembrar o quanto vale a pena acordar cedo para remar pela orla do Rio de Janeiro e ver o sol nascer atrás das montanhas da Guanabara.


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Google+ Basic Square

Trabalho em Equipe

“KOMO MAI KAU MAPUNA HOE”

(coloque sua pá na água e junte-se ao esforço!)

O trabalho em equipe, desde os tempos antigos, é uma das características mais fortes do va’a. Na preparação das embarcações e no dia a dia dos núcleos de va’a, as tarefas podem ser distribuídas ou os remadores podem tomar a iniciativa. As características e habilidades de cada indivíduo para o grupo têm o mesmo valor: os mais jovens e fortes fazem o trabalho mais pesado, o ancião oferece incentivo e conselhos, outros limpam e preparam as amarras, abastecem a canoa com água e comida.